[textos]
Nas margens da modernidade: duas abordagens da história

Este artigo propõe um diálogo entre o conceito de historia no texto Da Pintura (1435 – trad. 1992) de Leon Battista Alberti e a ideia de pós-história, na sua abordagem proposta para a arquitetura segundo Anthony Vidler, no seu livro “Histórias do Presente Imediato”. Em que medida essas compreensões da história se relacionam e onde se diferenciam? Desse embate resulta uma atualidade crítica do pensamento de Alberti no sentido de que ele fomenta a liberdade da história como narrativa, para a pintura e a arquitetura. Porém, ele a restringe a uma natureza mítica. Esse território exclusivamente mítico difere de uma abordagem contemporânea, como a de Vidler, na qual o autor reclama por uma revisão crítica dos ícones modernistas, nas quais as narrativas míticas talvez contribuam para manter não solucionados os problemas não resolvidos ou para manter ecoando as questões ainda abertas da modernidade.

leia completo >

autoria: Junia Cambraia Mortimer
2015